Jundiaí / SP - quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Medular

NEUROMODULAÇÃO PARA DOR CRÔNICA

 

A Neuromodulação é um tratamento médico com tecnologia avançada que consiste em aplicar um campo eletromagnético para modificar e modular o Sistema Nervoso Central (cérebro e medula) e/ou o Sistema Nervoso Periférico (nervos periféricos) nas patologias como Doença de Parkinson, depressão, esquizofrenia, bipolaridade, Tinnitus (zumbido), Distúrbio Cognitivo, AVC, dor crônica, epilepsia, dependência química, ansiedade, distúrbios do movimento, tremor essencial, distonia,


Transtorno obsessivo compulsivo (TOC), entre outras, atuando na regulação da área neuronal estimulada, inibindo ou estimulando seus neurotransmissores responsáveis por alguma função ou comportamento.  A Clínica Higashi localizada no Rio de Janeiro e Londrina é pioneira no uso da tecnologia de neuromodulação. 

 

A neuromodulação é uma forma de tratamento que utiliza estímulos elétricos, magnéticos ou infusão de pequenas doses de medicações para alterar a função do sistema nervoso. Através da modulação de regiões específicas do cérebro ou da medula espinhal, é possível normalizar a função nervosa e, dessa forma, tratar diversos tipos de distúrbios neurológicos.


A reversibilidade é uma das grandes vantagens da neuromodulação. O tratamento é ajustável de acordo com a queixa do paciente, podendo ser retirado ou interrompido a qualquer momento, caso não haja resposta satisfatória.


Dor crônica é um termo utilizado para descrever dores persistentes, com duração superior a três ou seis meses, e de difícil controle. A dor crônica costuma ser de moderada a forte intensidade e descrita frequentemente como em queimação, ardor, pontada ou choque. Pacientes com dor crônica na coluna vertebral, dor relacionada ao câncer ou vítimas de traumatismos estão entre os principais candidatos a neuromodulação.


Para o tratamento da dor crônica, as principais técnicas de neuromodulação utilizadas são: a estimulação medular, o implante de bomba de infusão de fármacos, a rizotomia por radiofrequência, a estimulação do córtex motor e a estimulação magnética transcraniana.

A estimulação medular é uma técnica minimamente invasiva, que envolve o implante de um eletrodo sobre a medula espinhal, sendo também conhecido como "marca-passo da dor". Ela age através da liberação de impulsos elétricos que bloqueiam a transmissão da dor na medula espinhal. Quando necessário, o estímulo pode ser ajustado no próprio consultório médico, através de um aparelho sem fio colocado sobre a pele do paciente. Essa técnica é segura, bem tolerada, e já foi utilizada em milhares de pacientes em todo o mundo.

 

Alguns tipos de dor crônica podem ser totalmente incapacitantes, causando sofrimento físico e emocional. O componente emocional da dor está frequentemente associado a transtornos de ansiedade, estresse e depressão, criando um ciclo vicioso que piora ainda mais a dor. Dessa forma, para ser efetivo, o tratamento deve abordar também o aspecto psicológico do paciente, promovendo a saúde do corpo e da mente.


Retornar